Até que ponto podemos confiar nas informações sobre alimentos e nutrição veiculadas pela mídia?

Por Carolina Pimentel

Como vocês já devem ter percebido, o objetivo do Blog Com Ciência é levar a informação científica e correta a todos os leitores, por isso nos preocupa muito o bombardeio de informações errôneas e sem cunho científico divulgadas pelos vários tipos de mídias.

No caso da nutrição, basta ir à banca ou à loja de “produtos naturais” mais próximas para se confundir ainda mais sobre o que, o quanto ou quando comer. O tema nutrição/alimentação/dieta desperta grande interesse do público porque além dos dois quilos que quase todos nós desejamos perder, a obesidade e todas as doenças associadas chegaram a níveis assustadores. Infelizmente, esse cenário criou uma oportunidade para a informação nutricional errada florescer.

Os consumidores estão interessados em saúde e informações nutricionais, mas frequentemente os rótulos dos produtos alimentícios ou as informações veiculadas geram dúvidas, descrédito ou insatisfação. Por este motivo é preciso distinguir a informação precisa, baseada em estudos científicos que já foram revisados e pode ser aplicada à população humana, daquelas incompletas, imprecisas e sem nenhum respaldo na ciência.

A informação errada pode ser divulgada ingenuamente ou com intenção maliciosa, para vender produtos ou ganhar a atenção.  Mas é preciso compreender que desinformação pode ser prejudicial para a saúde do consumidor e bem-estar geral e inclui principalmente as dietas da moda e alegações de saúde ao produto, mesmo que de maneira indireta.

Desconfie dos produtos e dietas que alegam uma perda de peso rápida e sem esforço, não há como emagrecer sem sacrifício e algumas restrições. Desacredite que existem alimentos, que por si só, são responsáveis por curar, tratar ou provocar doenças. E acredite que os hábitos alimentares saudáveis em conjunto com a prática de exercícios físicos são sim responsáveis por promover saúde e bem estar.

Ah!!! E qualquer dúvida, crítica ou sugestão, compartilhe com a gente!!! Vamos adorar poder colaborar.

 Referências

ADA REPORTS. Position of the American Dietetic Association: Food and Nutrition Misinformation. J Am Diet Assoc. 2006;106:601-607.

Bianca Ramos MARINS, Silvana do Couto JACOB, Frederico PERES. Avaliação qualitativa do hábito de leitura e entendimento: recepção das informações de produtos alimentícios. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, 28(3): 579-585, jul.-set. 2008

_______________________________________________________________________

Carolina Pimentel é Nutricionista, Mestre e Doutoranda em Saúde Pública pela USP. É sócia fundadora da empresa Suporte Ciência – Consultoria e Comunicação em Saúde, Professora Universitária e autora do livro Substâncias Bioativas em Alimentos Funcionais.

_______________________________________________________________________