Usar as mídias sociais é uma boa estratégia para as empresas da área da saúde?

Por Victor Proença

Algumas pessoas ainda têm dúvidas se usar as mídias sociais é uma boa estratégia para as empresas da área da saúde, como indústrias de alimentos (nutrição), indústrias farmacêuticas, e clínicas médicas e hospitais. Para responder a essa pergunta, e esclarecer as principais dúvidas dos internautas sobre esse assunto, nós preparamos uma série de perguntas e respostas.

Seguem elas:

1) O que são mídias sociais?

O termo “mídias sociais” (social media) se refere às atividades entre pessoas que se juntam no mundo online para compartilhar informações utilizando mídias de conversas que tornam mais fácil a criação e compartilhamento de conteúdo na forma de palavras (ou textos), figuras, vídeos e áudios. Eu prefiro essa definição: mídias sociais são grupos de aplicações com base em internet que permitem às pessoas criar, colaborar e compartilhar conteúdos uns com os outros.

2) Por que as mídias sociais são importantes para as empresas?

O uso das mídias sociais está expandindo rapidamente. Hoje mais de 65% dos adultos usuários de internet relatam usar redes de relacionamento como MySpace, Facebook, Twitter ou LinkedIn, comparado à 29% em 2008. Alguns pesquisadores estimam que por volta de 2015 o número de indivíduos e empresas que terão contas em redes sociais ultrapassará os 3 bilhões. Nesse sentido, as mídias sociais vêm se mostrando como efetivos canais de comunicação para quaisquer organizações em crescimento, representando um meio poderoso para o marketing e o desenvolvimento das empresas. O uso das novas mídias no contexto comercial (marketing digital) pode ser uma ferramenta efetiva e poderosa, pois elas oferecem às empresas a oportunidade de coletar informações, promover marcas ou produtos, ou realizar pequenas vendas de uma maneira mais sutil que o marketing tradicional. Campanhas de mídias sociais efetivas podem resultar em uma resposta positiva e se tornar virais.

3) As mídias sociais também são importantes para as empresas da área da saúde?

Com certeza, hoje mais de um terço dos adultos utilizam as mídias sociais para acessar informações sobre saúde, bem-estar, alimentação, nutrição, atividade física etc. Além disso, aproximadamente 80% dos profissionais da área da saúde usam os canais de mídias sociais para criar e compartilhar conteúdos especializados. No caso das empresas da área de saúde, é importante segmentarmos as diferentes áreas de atuação, pois os objetivos de uso das mídias sociais podem não ser os mesmos para uma clínica médica pequena, um hospital de médio porte, grandes indústrias de alimentos (nutrição), ou até mesmo uma indústria farmacêutica multibilionária. Mas de uma maneira geral, o uso das mídias sociais para as empresas de saúde apresenta inúmeros pontos positivos, como veremos a seguir.

4) Como as empresas/indústrias da área da saúde podem usar as mídias sociais a seu favor?    

As pessoas usam as mídias sociais para conversar, ou se socializar. Se a sua empresa está interessada em ganhar a atenção dos consumidores modernos, sejam eles usuários ou não dos seus serviços e produtos, ela deve fornecer informações úteis e de valor para os seguidores. Os departamentos de publicidade, propaganda e marketing somente conquistarão espaço nas conversas dos usuários se eles criarem comunidades com conteúdos que agreguem valor à vida das pessoas. Ao invés de dizer (ou impor) aos usuários o que fazer/usar, perguntar e ouvir (responder ativamente) pode ser uma maneira de conseguir o diálogo tão esperado com os consumidores e fãs. Outro ponto importante, é que os consumidores hoje estão muito cautelosos e estão aprendendo a farejar ações puramente de marketing. Assim, ao invés de “encher” as mídias sociais de representantes de marketing, ou de relações públicas, é importante que as companhias, principalmente as indústrias farmacêuticas, disponibilizem os verdadeiros experts nas áreas (como cientistas, médicos, nutricionistas, educadores físicos, fisioterapeutas etc.) para responder os questionamentos e dúvidas dos seguidores. Para grande parte das empresas pode ser interessante contratar os serviços de empresas terceirizadas, que forneçam suporte científico ao marketing, criação e curadoria de conteúdo, gerenciamento de mídias sociais etc.

5) Por quanto tempo as empresas devem investir nas mídias sociais?

As mídias sociais devem ser encaradas como um casamento, ou outro compromisso de longa duração, pois os esforços investidos nas mídias sociais não devem parar, como acontece com as campanhas de marketing. Assim que as empresas iniciam esse tipo de atividade, elas devem encará-la como uma oportunidade de criar relacionamentos e agregar valores de longo prazo para ambas as partes, consumidores e empresas. Trabalhar com mídias sociais não é a mesma coisa que colocar anúncios em sites sociais, como o Facebook, esse serviço envolve o engajamento e aplicação de métricas para avaliar o que realmente funciona.

Ainda em relação ao tempo de investimento, é importante salientar que o crescimento do número de usuários, também chamados de seguidores, amigos ou fãs, pode ser lento e pode exigir várias horas de dedicação por dia e esforços de uma equipe inteira. Atualmente muitas empresas ainda não possuem um staff habilitado para tal atividade, ou não tem interesse em deslocar funcionários, ou contratar todo um departamento para realizar a criação e o gerenciamento de todas as mídias (blogs, Twitter, Facebook, Google+, LinkedIn, Instagram, Youtube etc.), além da criação e curadoria dos conteúdos.

marketing farmacêutico

6) Quais são os pontos negativos das mídias sociais para as empresas?

Algumas empresas podem estar envolvidas com outras atividades de marketing e considerar que o investimento de tempo e dinheiro em mídias sociais não traz retornos financeiros no curto prazo. As mídias sociais devem ser constantemente atualizadas. Investir em mídias sociais é um processo, não um evento.

Outro ponto importante, é que as empresas devem estar preparadas para críticas, gerenciando as eventuais crises ocorridas. As empresas devem criar e postar as políticas de comentários, como: Os fãs podem postar links para outras páginas? Outras páginas podem postar na página da empresa? Que tipo de questões pode ser respondida nessa mídia? E o que não pode ser respondido online? Onde os seguidores podem obter mais informações? E, claro – o que ocorrerá quando alguém violar a política da fanpage?

Por fim, ainda pode haver uma superexposição, ou seja, as empresas devem atentar para o fato de não revelar informações além da conta. Pois é, às vezes os funcionários menos preparados podem se empolgar nesse processo e divulgar detalhes preciosos sobre eventos, serviços ou novos produtos que ainda não estejam totalmente finalizados, expondo-os à concorrência.

Esperamos ter contribuído para o esclarecimento de algumas dúvidas sobre o uso das mídias sociais (Facebook, Twitter, LinkedIn etc.) como ferramentas de marketing para as indústrias de alimentos, indústrias farmacêuticas e clínicas médicas e hospitais. Se você tem alguma dúvida, crítica ou sugestão de tema, escreva nos comentários. Até a próxima!

REFERÊNCIAS

_________________________________________________________________________

Victor Proença é Biomédico, Doutor e Pós-Doutor em Fisio-Farmacologia.

É sócio fundador da empresa Suporte Ciência – Consultoria e Comunicação em Saúde, e também Professor Universitário.

_________________________________________________________________________