Nutrição e o Comer Sustentável

Por Carolina Pimentel

prato sustentável

Olá a todos que seguem o Blog ComCiência! Pensando sobre o que conversar com vocês esta semana, me deparei com um assunto que há tempos me gera dúvidas e curiosidades: SUSTENTABILIDADE. Não que esse seja o tema mais atual, por que a eco consciência já existe desde sempre, mas gostaria de tratar aqui um assunto mais especifico: o comer sustentável.

A sustentabilidade abordada dentro da alimentação me gera questões que vão muito além dos orgânicos, eu me pergunto, como cidadã e nutricionista, por exemplo:

Como uma abordagem ecológica pode auxiliar a otimizar a saúde pública por meio dos alimentos e nutrição?

Como pode o sistema alimentar garantir um futuro fornecimento de alimentos, que protege tanto a saúde humana como o ambiente?

Como a sustentabilidade deve estar integrada à nutrição e à prática do nutricionista?

Ainda não tenho nenhuma dessas respostas, mas a busca pela informação pode nos ajudar a pensar em ampliar e incluir a discussão de que o que se come pode ter consequências ao meio ambiente, ao clima e em todos os componentes da segurança alimentar: produção e processamento, transformação, distribuição, acesso e consumo.

Podemos pensar também que incorporar a sustentabilidade em políticas de alimentação e nutrição requer uma combinação de três pilares: política, economia e ecologia.

Acredito também que o início de práticas sustentáveis deve começar dentro de casa, individualmente, para que depois possamos ter ações diretas em nosso local de trabalho, poupando fontes naturais como água, energia e evitando o desperdício até chegarmos na prescrição de um planejamento dietético que apoie a agricultura sustentável.

Uma dieta sustentável é aquela que contribui para a saúde e também para um sistema alimentar que não deplete ou degrade o meio ambiente.

óleo_frigideira

Os profissionais que atuam em food service podem também evitar as grandes porções como forma de combater o desperdício. Além disso, podemos ser sustentáveis ao escolher aparelhos qualificados e que combinem várias funções ajudando a reduzir o gasto de energia em 25%. A máquina de gelo, por exemplo, gasta tanta energia quanto o ar condicionado, eleva o calor em cozinhas profissionais, gastando mais energia ainda para manter a temperatura adequada. Por isso, métodos que identifiquem a energia consumida por cada equipamento facilitariam a escolha e o cálculo do desperdício.

Outras pequenas ações como diminuir o tempo de pré-aquecimento de fornos e boilers e a instalação de timers para evitar a energia desperdiçada na abertura das portas, treinar os funcionários para evitar o desperdício de água também poderiam ser de grande valia na prevenção do dano ao meio ambiente. O famoso jarguão: “Se cada um fizer sua parte…” parece muito bem aplicado às questões da sustentabilidade.

 cozinha_verde

Na teoria, tudo isso parece muito fácil, mas na prática teremos que nos informar muito sobre os meios que comprovem agricultura e produção de alimentos sustentáveis para enfim orientar escolhas alimentares ecológicas. O início poderia ser basicamente, encorajar uma dieta variada, com alimentos frescos e minimamente processados, apoiar o pequeno produtor local e encorajar o consumo de proteína vegetal.

Outros exemplos como estimular o consumo de alimentos orgânicos e regionais e evitar os geneticamente modificados, pois estes tornam o meio ambiente mais vulnerável, também podem ser estratégias eficientes, não só para proteger o meio ambiente, mas também para promover saúde, através da alimentação saudável.

Fico imaginando, quantos de nós e das nossas crianças nunca comeram ou ao menos viram jabuticaba, jatobá, graviola, pequi, buriti, jaca, nossos esforços devem buscar a valorização dos alimentos produzidos em nosso próprio país e, mais do que isso, em nossa própria região.

agricultura sustentavel

Acredito mesmo que esse pode ser um bom começo para atuar e comer dentro de um contexto saudável, social e sustentável. Alguém aceita o desafio de planejar uma dieta, de pelos menos um dia, levando em conta esses preceitos???

_______________________________________________________________________

Carolina Pimentel é Nutricionista, Mestre e Doutoranda em Saúde Pública pela USP. É sócia fundadora da empresa Suporte Ciência – Consultoria e Comunicação em Saúde, Professora Universitária e autora do livro Substâncias Bioativas em Alimentos Funcionais.

_______________________________________________________________________