Chocolate! Chocolate! Chocolate! Eu só quero chocolate…AMARGO!

Por Alessandra L. Soares 

chocolate coração

Já é certa a paixão do brasileiro pelo chocolate, ainda mais quando se trata de datas, como a Páscoa, onde há uma grande procura por este alimento, porém, é preciso ter cautela no momento da escolha do chocolate a ser presenteado e consumido. O chocolate é fonte de cacau, rico em flavonoides (substância antioxidante) que beneficiam a saúde cardiovascular agindo como um protetor, uma vez que são capazes de intensificar a função endotelial e diminuir coágulos nos vasos sanguíneos por reduzirem a oxidação do LDL (colesterol ruim). Além de combaterem os radicais livres que são produzidos no estresse, poluição, e em processos metabólicos prevenindo o envelhecimento precoce.

Antes de qualquer coisa, é necessário considerar os tipos de chocolates onde está presente o cacau, pois há uma variedade grande de produtos com a presença deste ingrediente, mas que podem não ser fontes significativas ou ter quantidades variáveis de flavonoides.

chocolate vários

AMARGO: composto principalmente por sementes de cacau e pouca quantidade de manteiga, açúcar e leite. Possui uma alta quantidade de flavonoides, antioxidantes naturais. Possui em torno de 50% a 70% de teor de cacau.

AO LEITE: Composto por manteiga de cacau e liquor (obtido pelo refino da massa de cacau), açúcar, leite (em pó integral/desnatado ou leite condensado). Possui em torno de 40% de teor de cacau.

BRANCO: Composto por uma mistura de leite, açúcar, manteiga de cacau e lecitina. Possui zero de semente de cacau e zero de flavonoides.

DE SOJA: Composto por extrato de soja, sem lactose, glúten e colesterol. É 100% vegetal
Pode conter uma variada quantidade de cacau. Indicado para intolerantes à lactose.

DIETÉTICO: Não é o menos calórico, já que pode conter um teor maior de gorduras.
e uma variada quantidade de cacau. É reduzido na quantidade de açúcar.

MEIO AMARGO: Possui as mesmas características do amargo, e o teor de cacau entre 40% e 50%.

 tipos de chocolate

Alguns estudos epidemiológicos mostraram que o consumo de chocolate com altos teores de cacau promove benefícios para a saúde quanto à redução da pressão arterial e à incidência de doenças cardiovasculares.

Em outro estudo realizado por pesquisadores da Universidade de San Diego avaliou 31 pessoas que ingeriram, no período de 15 dias, a quantidade de 50 gramas de chocolate. Dentre as três variedades, estavam o chocolate amargo 70%, outro tipo nomeado de baking chocolate e o chocolate branco. Os resultados mostraram queda nos níveis de glicose e LDL (“mau colesterol”) e um aumento no HDL (o “bom colesterol”) para aqueles que consumiram tanto o chocolate amargo quanto o baking chocolate. Já para os que ingeriram o chocolate branco não houve alteração.

saúde do coração

Apesar disto, devemos ingerir o chocolate amargo com moderação, dentro de uma alimentação equilibrada e saudável e estar atento aos rótulos quanto à presença de gorduras, principalmente a gordura vegetal hidrogenada e a presença de açúcares, dependendo do fabricante do produto. Por isso, recomenda-se optar pelos de boa qualidade.

A orientação de um nutricionista é de fundamental importância na indicação do consumo e da quantidade a ser ingerida para cada indivíduo, de acordo com seu estado nutricional e principalmente na presença de patologias, como a intolerância à lactose e na Doença Celíca, onde não é indicado o consumo de produtos que contenham leite e glúten, respectivamente.

Referências

http://www.nutritotal.com.br/perguntas/?acao=bu&id=657&categoria=34

http://www.nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=1270

http://revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutricao/111/amargo-o-chocolate-da-vez-ele-virou-o-queridinho-262042-1.asp

BATISTA, Ana Paula Sabagg Amaral. Chocolate: suas histórias e principais características Disponível em: http://bdm.bce.unb.br/handle/10483/338 . Acesso em: 05 março 2013.

__________________________________________________________

Alessandra Lopes Soares é Nutricionista Clínica e Pós-Graduanda em Nutrição Clínica Funcional.

__________________________________________________________